domingo, 9 de novembro de 2014

NBC / Marky - Reviews desentendidas

Ontem foi dia de emoções fortes. Acordar com vontade de partilhar a noite de ontem, depois de 4 horas de sono, é sempre bom sinal. A noite começou em Torres Vedras, com NBC na Caixa Transforma. O regresso aos palcos na cidade que o viu crescer. Sempre gostei do trabalho dele e como o mesmo tem evoluído. A expectativa era grande, ainda para mais depois do feedback positivo que ouvi sobre o concerto dele no Ocean Spirit 2014. Pelas 22h30m, subia ao palco com uma banda composta por 5 jovens. Foi um record de arrepios, o homem canta nas horas! A qualidade do som estava muito boa e NBC e a sua banda fizeram o resto. Concerto intimista, com poucas pessoas mas quem lá esteve de certeza que sentiu. Alinhamento bem pensado, tocou os seus maiores hits e ainda deu tempo para uma versão de Used to Love You de John Legend(que ao mesmo tempo tocava em Lisboa). O final foi em grande com o seu novo single "Gratia". Faltou a apresentação merecida de todos membros da banda e na opinião de quem pagou 7€ para ver o concerto e não conhece o NBC pessoalmente, o discurso de NBC entre músicas foi demasiado pessoal. Mas era normal, estando ele com tantos amigos por perto. Foto: Musica em DX
Acabado o concerto em Torres Vedras, arranco para o Lx Factory. Estava na hora do regresso de DJ Marky a Portugal. Depois de levar uma banhada no ano passado no Sumol Summer Fest, onde Marky fazia parte do cartaz e acabou por não aparecer (ou se calhar foi jogada de marketing), desta vez tinha a certeza que o iria ver. Vi e ainda deu para lhe dar um "tasse" enquanto passava pela multidão para chegar à cabine. Sala ao barrote, calor (demasiado!) e um bass fortíssimo. Groovekid aqueceu muito bem a malta e depois, bem depois... foi abusado. Provavelmente o melhor dj set que alguma vez vi e ouvi. Malhões atrás de malhões, sem entrar em estilos mais darks/agressivos, scratch a torto e a direito, com o prato virado para baixo, tudo soava bem. Era para tocar 2 horas, acabou por tocar 3 horas non stop, sempre com uma vibe contagiante. Parece-me que ao dizer que foi épico, falo por muita gente que lá foi. Quase 40 anos de idade e rocka como um puto de 20. Respect !

Sem comentários:

Enviar um comentário